top of page
  • vitoriadavies

Visita à Casa Marambaia e jardins de Burle Marx


As expectativas eram altas: visitar a Casa Marambaia, em Corrêas, região serrana no Estado do Rio de Janeiro, e seus belíssimos jardins, criados por Burle Marx na década de 1940. Seríamos ciceroneados pela paisagista Daniela Infante, responsável pela recente restauração dos jardins; e , a visita seria precedida por uma reunião com a paisagista em seu escritório/loja em Itaipava, a Arteiro, onde Daniela falaria sobre o histórico da Casa Marambaia, o projeto de restauração dos jardins e as dificuldades e soluções encontradas. Portanto, uma visita técnica duplamente valiosa! Os jardins não são normalmente abertos à visitação pública, mas, graças à parceria da Daniela com o Papo de Paisagista, que organizou a visita, tivemos essa oportunidade única.


Arteiro - Escritório e loja de Daniela Infante em Itaipava. Foto: Chris Lara



Daniela Infante começou cedo no paisagismo, na adolescência na verdade, auxiliando a mãe, a paisagista Sônia Infante. Sônia também participou da reunião e nos deliciou com histórias de seus 50 anos de profissão, originalmente atuando apenas em Itaipava e arredores – período em que não havia um mercado de plantas na região; clientes proprietários de vastos terrenos se recusavam a pagar por um topógrafo, e a paisagista tinha que se virar usando troncos altos de bambu para medir a profundidade de trechos dos terrenos; arquitetos renomados insistiam em usar plantas inadequadas para aquele clima (e ela se recusava a usá-las, mesmo se arriscando a perder o projeto...). Na década de 1970, Sônia já cultivava plantas ornamentais. Em certa altura, recebeu a comissão de criar um jardim gigantesco em uma residência particular na região. Muitas das espécies usadas no projeto foram produzidas por ela, que viu a necessidade de criar estufas em seu viveiro, bem como ir para Holambra estudar como acelerar o enraizamento das plantas, visto que os maciços projetados requeriam cerca de 5.000 mudas…


Com esse histórico familiar, não é de admirar que a filha Daniela tenha mais tarde optado por estudar Agronomia e completado sua formação com uma pós-graduação em Meio Ambiente. Hoje a paisagista trabalha com grandes escritórios de arquitetura de várias partes do Brasil, além dos muitos projetos que cria em Itaipava e arredores. A restauração dos jardins de Burle Marx não poderia ter sido posta em melhores mãos…


Sônia Infante e Daniela Infante. Foto: Chris Lara



Saímos cedo do Rio de Janeiro rumo a Itaipava, 38 paisagistas, em ônibus fretado pelo Papo de Paisagista, e fomos recebidos na Arteiro por Daniela e Sônia com um lauto café da manhã – sucos, biscoitos e bolos serranos deliciosos, e várias outras guloseimas… Depois de uma super agradável confraternização, Daniela iniciou sua apresentação.


Apresentação de Daniela Infante sobre o projeto Casa Marambaia. Foto: Chris Lara


Paisagistas do Papo de Paisagista na viagem técnica à Casa Marambaia. Foto: Chris Lara



Fazenda Marambaia / Casa Marambaia


Já era quase hora do almoço quando partimos para o nosso segundo destino – Fazenda Marambaia. Chegando lá, nos encaminhamos para a Casa Marambaia, onde nos foi servido almoço no restaurante do hotel.


Chegada à Fazenda Marambaia. Foto: Chris Lara


Restaurante do Hotel Casa Marambaia. Foto: Denilson Machado



Depois do almoço, percorremos os jardins ciceroneados por Daniela, que ia explicando cada detalhe da restauração, cada problema enfrentado e as soluções encontradas.


A Fazenda Marambaia ocupa uma área de 2.5 milhões de metros quadrados em Corrêas. A antiga sede da fazenda hoje abriga o Hotel Casa Marambaia, um hotel boutique de cinco estrelas com apenas oito suítes. Projetado pelo arquiteto Wladimir Alves de Sousa, o casarão foi erguido em 1948 para ser a residência de veraneio do casal Odette e Júlio Monteiro. Burle Marx, escolhido para projetar os jardins no entorno da residência, teve seu projeto premiado na I Exposição de Arquitetura da II Bienal de São Paulo, em 1953. Burle Marx atribui esse prêmio ao fato de ter tido ampla liberdade para criá-los, não tendo havido qualquer imposição por parte dos proprietários. De fato, Júlio Monteiro se recusou a examinar e aprovar o anteprojeto, tal sua confiança no paisagista.


Antiga sede da fazenda, hoje Hotel Casa Marambaia. Foto: Vitoria Davies



Na década de 1980 a propriedade foi adquirida pelo ex-banqueiro Luiz Cezar Fernandes, um dos fundadores do Banco Pactual, que convocou Burle Marx e seu sócio, Haruyoshi Ono, para um acréscimo de área, onde foram instaladas quedas d'água, e para criarem um painel em cerâmica num pavilhão.


Grupo de quedas d'água antes da recuperação. Foto: Daniela Infante


Quedas d'água depois da recuperação. Foto: Daniela Infante


Painel de cerâmica criado por Burle Marx e Haruyoshi Ono. Foto: Vitoria Davies



Mais recentemente, por questões financeiras, Luiz Cezar Fernandes acabou vendendo a propriedade ao grupo hoteleiro Promenade, que se incumbiu da restauração do casarão para transformá-lo em um hotel boutique de luxo, e contratou Daniela Infante para a tarefa monumental de restaurar os jardins de Burle Marx em seu entorno. Em fevereiro de 2019, a paisagista iniciou a restauração.


Casarão e jardins antes da restauração. Foto: Daniela Infante


Casarão e jardins depois da restauração. Foto: Vitoria Davies



A maior preocupação de qualquer paisagista responsável por restaurar jardins de paisagistas aclamados como Burle Marx é ser fiel ao máximo ao projeto original. Assim, de posse do guache do projeto feito por Burle Marx, a paisagista deu início ao processo tentando identificar canteiros originais que estivessem encobertos por grama, visando, desse modo, recuperar o desenho original.


Guache de Burle Marx do projeto paisagístico para a residência de Odette e Julio Monteiro. Fonte: Rizzo, 1992



Felizmente, Burle Marx costumava usar delimitações de cimento nos canteiros, o que facilitou o trabalho de Daniela. Somado a isso, ela pôde contar com a ajuda de um dos atuais jardineiros da casa, que já trabalhava lá quando Burle Marx, nos anos 1980, aumentou a área a pedido do segundo proprietário. A vivência do jardineiro com o paisagista foi também fonte valiosa de dados sobre os jardins para a paisagista.



Recuperação dos canteiros originais. Foto: Daniela Infante


Canteiro original encoberto por grama. Foto: Daniela Infante


Canteiro identificado e restaurado por Daniela Infante. Foto: Vitoria Davies


Ilha e arredores antes da recuperação. Foto: Daniela Infante


Ilha e arredores depois da recuperação. Foto: Daniela Infante



O passo seguinte seria identificar e reintroduzir espécies originalmente usadas por Burle Marx, devolvendo as cores aos canteiros conforme projetado por ele. Ocorre que, como explicou Daniela, com as mudanças climáticas ao longo das décadas, hoje algumas dessas espécies não vingam como antes. Foi necessário substituí-las por outras, mas mantendo o colorido original. Por exemplo, nas manchas multicolores, como abaixo, - em que o paisagista utilizou a Cinerária (Senecio douglasii), o Coléus (Solenostemon scutellarioides) amarelo e o vinho, e a Iresine (Iresine herbstii) -, Daniela teve que substituir a Cinerária por Liríope variegata (Liriope muscari 'Variegata') e o Coléus amarelo pelo Pingo-de-ouro (Duranta erecta aurea); por outro lado, foi mantida a Iresine (Iresine herbstii), como no original, pincelando a paisagem de vermelho vivo, e Daniela usou-a também para substituir o Coléus vinho.



Mancha colorida original. Fonte: Casa Marambaia


A mesma mancha, recuperada por Daniela Infante. Foto: Chris Lara



Outro desafio foi escolher plantas de baixa manutenção, garantindo mais facilmente sua sobrevivência e respeitando as necessárias práticas sustentáveis atuais.


Em dezembro de 2020, foi finalmente inaugurado o Hotel Casa Marambaia na antiga sede da Fazenda Marambaia.


Casa Marambaia. Foto: Douglas Brandão


Lateral da Casa Marambaia, com portas francesas que dão para o restaurante. Foto: Vitoria Davies


Vista aérea da Casa Marambaia e jardins. Foto: Casa Marambaia



Já escurecia quando partimos de volta para o Rio de Janeiro. O dia foi perfeito: passamos o dia imersos no verde, desfrutando da arte do grande Burle Marx, dos conhecimentos e experiência da Daniela Infante e da camaradagem inerente a um grupo de aficionados por paisagismo…


Hotel Casa Marambaia. Foto: Chris Lara



Como o grupo é inimigo do fim, fechamos o dia em terras cariocas, num quiosque, com um bom chope e petiscos ao som das ondas do mar…


















39 views0 comments

Recent Posts

See All
bottom of page